quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Acaso ou destino?


            Você é daqueles que acredita que tudo tem um motivo e uma razão ou daqueles que acha que tudo são apenas coincidências? Confesso que eu tenho lá minhas dúvidas. Pensar que cada um tem um destino é uma maneira de ver a vida, em contrapartida pensar que tudo acontece ao acaso é outra bem diferente.
           Sabe aquela pessoa que você só conheceu porque o dentista atrasou o seu horário e vocês acabaram na mesma sala de espera, engataram um papo amigável que rendeu um chopp, que rendeu uma ficada, que rendeu convivência e estão juntos até hoje. E aí? Foi por acaso ou foi porque isso deveria acontecer? Ou, será que se vocês não se encontrassem nessa ocasião certamente se encontrariam em outra qualquer?
            Aquele vôo que você ia perder em Porto Alegre mas que no fim atrasou em São Paulo e no fim deu tudo certo. Era pra ser assim? Ou será que não era mesmo pra você ficar na cidade e tudo deu certo para que seu vôo chegasse no aeroporto tão atrasado quanto você, mas que acabou não perdendo por essas coisas todas?
            Às vezes penso sobre isso. E chego a conclusão que mudamos nossa vida a cada minuto, a cada decisão que tomamos damos um rumo diferente a ela e aí, tudo pode mudar. Você poderia ter achado outra coisa pra fazer e não ter conhecido a tal pessoa no consultório. Você, vendo que estava atrasado poderia ter desistido de ir pegar o avião, mesmo sem saber que ele também atrasaria e perdido a sua viagem, e tantas outras coisas mais que aconteceram nela.
            Acho que cada um é responsável pela sua vida através das decisões que faz, não importa o tamanho dela. Um sim pode mudar tudo, uma mensagem, um telefonema, um pedido de perdão, uma declaração inesperada, tudo isso pode fazer sua vida dar um giro de cento e oitenta graus em menos de um minuto. Ouvir um sim pode fazer todas as certezas que você tinha caírem por terra, ouvir um não pode acabar com toda angústia que você carrega no peito há dias, meses, anos.
            Um ato, uma palavra, parece tão pouco, tão banal, mas pode mudar sua vida. Uma descoberta pode fazer de você a pessoa mais feliz do mundo, assim como pode fazer você passar a odiar a pessoa que você mais amava e confiava. Um caminho diferente tomado pode mudar o seu dia, uma festa diferente que você vá pode mudar a sua noite. Um plano desfeito, uma vontade repentina que surge, você vai lá e faz sem nem pensar duas vezes e foi, você já é outra pessoa a partir daquele momento. Você acorda de um jeito, e vai dormir e sua vida já é completamente outra, trocam-se os planos, transformam-se as perspectivas, nada mais é igual a antes. Incrível como tudo muda o tempo todo com uma velocidade que os sentimentos não conseguem acompanhar, muito menos a razão, tudo simplesmente acontece, e a partir daquele momento nada mais será como era antes.


D.M.

4 comentários:

Tay disse...

Dayyyyyyy adorei os textos, vc ta de parabéns minha amigaaaa!!!bjooossss Tay!

ARTUR O'matic disse...

Virei frequentador!
É impressão ou você escreve algunS posts na mesma madrugada?!?

Dayane Muhammad disse...

iuhaiuhauishauishauishaush
eu escrevo várioSS na mesma noite... as palavras me consomem e eu tenho q por pra fora ;)
senão não consigo dormir :X

brigadão Tayyy!!

kelen maciel disse...

Oiii Day :)
Parabéns pelo blog, e mais ainda pelos seus textos!
Sabe, eu acredito que nós temos as pessoas certas pra conhecer durante a nossa vida. Acho que elas podem ser de vidas passadas, e que agora surgem para que nós possamos usar o perdão, saber amar, enfim, pra gente "acertar as contas" com o que ficamos devendo em outras épocas. E essas coincidências eu acho que são de propósito. Muitas vezes a gente perde o ônibus e fica furioso, mas pode ser o nosso anjo querendo nos atrasar de propósito para que algo adiante aconteça, ou para nos proteger mesmo.
Aquela coisa, Deus escreve em linhas tortas, e mais pra frente a gente sempre percebe que o que passou faz sentido, mesmo que durante um tempo pareça que não.
Comigo é sempre assim, tenho a impressão que tudo se encaixa, mas só dou conta depois de anos, quando paro e lembro de todas as "coincidências" que me ocorreram.
Um beijão, day :)